ELABORAÇÃO DO CHÁ DA CASCA DO ABACAXI (Ananas comosus-Bromeliaceae) E CARACTERIZAÇÃO DAS PROPRIEDADES FISICO-QUÍMICAS E SENSORIAIS

Ana Siqueira do Nascimento Marreiro, Meyrelle Machado Amorin, Paulo Ronaldo Sousa Teixeira

Resumo


A fome e o desperdício de alimentos são dois dos maiores problemas que o Brasil enfrenta, dados os seus impactos econômicos e sociais. No entanto, esses impactos podem ser minimizados com a utilização adequada de resíduos de alimentos que normalmente são desprezados, como exemplo cascas de frutas - em especial cascas de abacaxi que podem ser utilizadas na elaboração de chás como forma alternativa de incrementar a alimentação. O presente trabalho procurou incentivar o reaproveitamento da casca de abacaxi, em chás, demonstrando, entre seus benefícios, uma alternativa de fonte de nutrientes de baixo custo em relação às fontes convencionais. Foram determinados, ainda, o grau de acidez, a quantidade de vitamina C (em mg), o perfil sensorial e o índice de aceitação e de intenção de compra relativos ao produto em questão.

Referências


BRASIL. Ministério da Agricultura e do Abastecimento. Secretaria de Produção e Comercialização. Departamento de comercialização. Balança Comercial do Agronegócio. Brasília, DF. 2000. 25p.

BRASIL. Portaria MS nº 33, de 13 de janeiro de 1998. Ingestão Diária Recomendada (IDR) para proteínas, vitaminas e minerais. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasil, 16 de Janeiro de 1998.

HARDISSON, A. et al. Mineral Composition of the banana (Musa acuminatal from the island of Tenerife. Food Chemistry, 2001, vol73, p153-161.

INMETRO. Chá - Informações ao Consumidor. Disponível em: http : // www.inmetro.gov.br . Acesso em 05 de agosto de 2009.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ; Normas Analíticas do Instituto Adolfo Lutz. Métodos químicos e físicos para análise de alimentos, 3a ed., São Paulo, 1985, vol. 1, p. 393.

SANTOS, M.K. et al. Composição Centesimal e de Minerais em Cascas de frutas. Ciênc. Tecnol. Aliment. out/dez 2005, vol 25, n.4, p.825-827.

SABA, A.; MESSINA, F. Attitudes towards organic foods and risk benefit perception associated with pesticides. Food Quality and Preferency. Harlow, v.14, p.637-645, 1998.

VILANUEVA, N.D.M. Avaliação do desempenho de quarto métodos de escalonamento em testes sensoriais de aceitação utilizando modelos normais aditivos de análise de variância e mapas internos de preferência. Campinas, SP, 2003.140p. Tese de Doutorado-Faculdade de Engenharia de alimentos- Universidade Estadual de Campinas.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Logotipo do IBICT