O CONHECIMENTO DISCENTE SOBRE IMPACTOS AMBIENTAIS EM CAROLINA, MARANHÃO

Osnélia Silva dos Santos, Leonardo Oliveira da Silva Coelho, Louize Nascimento, Rogério Taygra Vasconcelos Fernandes, Jônnata Fernandes de Oliveira

Resumo


Ações antrópicas causam danos ao meio ambiente natural e artificial, como desmatamento, degradação, poluição, queimadas e acúmulo de lixo. A educação ambiental pode ser utilizada como ferramenta para mitigar os impactos ambientais, através de conceitos e temas importantes relacionados ao meio ambiente. Assim, a população pode se reconhecer como pertencente ao meio, como sujeito que usufrui e degrada o ambiente. Por isso, é tão importante que crianças e jovens, desde cedo, possam ter contato com este tipo de conhecimento na escola. Baseando-se nesta ideia, a presente pesquisa foi desencadeada a partir de uma palestra educativa que tratava de temas ambientais. Testou-se a aplicação deste instrumento metodológico junto a estudantes do ensino fundamental de uma escola pública, no bairro Brejinho, Carolina, Maranhão. A pesquisa ocorreu em novembro de 2018, com aplicação de questionários a 30 discentes. Foram abordados temas relacionados a questões ambientais (educação ambiental, meio ambiente natural e artificial, impactos ambientais, coleta seletiva e política dos três R’s). A partir dos resultados da pesquisa, pode-se concluir que os discentes possuíam inicialmente conhecimento incipiente sobre os temas abordados, mas após intervenção da palestra, houve um incremento nos acertos do questionário. Neste sentido, a pesquisa se converteu em instrumento de conscientização dos discentes, pois orientou os estudantes a cuidarem do meio ambiente natural e artificial, estimulando-os a sentirem-se participantes e sujeitos do meio, do qual vivem e usufruem.


Palavras-chave


Alunos. Educação Ambiental. Meio Ambiente.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRETTA, Vanessa et al. Impactos ambientais e perfil dos visitantes no Complexo da Cachoeira da Fumaça em Carrancas/MG. Caderno Virtual de Turismo, v. 8, n. 1, 2008.

ARAÚJO, Jotácia Estrela Barbosa et al. Percepção sobre educação ambiental e política dos 3R’S dos estudantes de escola pública no município de Pombal-PB. Revista Brasileira de Gestão Ambiental, v. 12, n. 3, p. 28 - 33, 2018.

BRASIL. Tribunal de Contas da União. Cartilha de licenciamento ambiental / Tribunal de Contas da União; com colaboração do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. 2. ed. Brasília: TCU, 4ª Secretaria de Controle Externo, 2007.

CAJAIBA, Reinaldo Lucas; SANTOS, E. M. Conhecimento dos alunos do Ensino Fundamental sobre coleta seletiva: um Estudo de Caso no município de Uruará-PA. Enciclopédia Biosfera, v. 10, n. 18, p. 3559 - 3568, 2014.

CARVALHO, Denise Aparecida et al. Conhecimento empírico de produtores rurais sobre biodiversidade e impactos ambientais nas vegetações ripárias em Diorama, estado de Goiás. Ethnoscientia, v. 4, p. 1 - 8, 2019.

FELIX, Rozeli Aparecida Zanon. Coleta seletiva em ambiente escolar. REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educacao Ambiental, v. 18, p. 56 - 71, 2007.

GOUVEIA, Nelson. Resíduos sólidos urbanos: impactos socioambientais e perspectiva de manejo sustentável com inclusão social. Ciência & saúde coletiva, v. 17, p. 1503-1510, 2012.

GUIMARÃES, Mauro. Educação Ambiental: no consenso em embate? Campinas: Papirus editora. 2000.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. População. Carolina, Maranhão. 2010. Disponível em: . Acesso em: 21 mar. 2020.

JACOBI, Pedro. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de pesquisa, n. 118, p. 189-206, 2003.

JACOBI, Pedro. Educação e meio ambiente–transformando as práticas. Revista Brasileira de Educação Ambiental, Brasília, n. 0, p. 28-35, 2004.

JFSC – Justiça Federal em Santa Catarina. 2008. Classificação do Meio Ambiente. Disponível em: . Acesso em 22 abr. 2020.

LOUREIRO, Carlos Fredetico B. Trajetória e fundamentos da educação ambiental. In: Trajetória e fundamentos da educação ambiental. 2004.

MMA - Ministério do Meio Ambiente. Coleta Seletiva. Disponível em: . Acesso em: 12 mai. 2020.

NOGUEIRA, Ana Cláudia Fernandes; SANSON, Fábio; PESSOA, Karen. A expansão urbana e demográfica da cidade de Manaus e seus impactos ambientais. XIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Florianópolis, Brasil, v. 21, p. 26, 2007.

OLIVEIRA BARBOSA, Hugo et al. Conhecimento ecológico local e percepção dos impactos ambientais por moradores da zona rural sobre riachos e peixes da bacia do alto rio Tocantins, Goiás, Brasil. Ethnoscientia, v. 2, n. 1, 2017.

RIBEIRO, Túlio Franco; CARMO LIMA, Samuel. Coleta seletiva de lixo domiciliar-estudo de casos. Caminhos de geografia, v. 2, n. 2, 2000.

SÁNCHEZ, Luis Enrique. Avaliação de impacto ambiental - conceitos e métodos. 2 ed. São Paulo. Oficina de Textos, 2013.

SERRANO, Veridiana Loyola; SLONGO, Daniela Roberta. Preservação do Meio Ambiente. In: Direito e Segurança Pública: questões atuais e polêmicas. ZAGO, G. G.; PSCHEIDT, K. R.; CORDEIRO, Ma. (orgs.). Campo Largo, PR: Faculdade CNEC Campo Largo, 2017.166p.

SOARES, Jeferson Rosa; MONTEIRO, Denisson Neves; KITZMANN, Dione Iara Silveira. Conhecimento sobre Meio Ambiente e Educação Ambiental dos Alunos do Ensino Médio Integrado do Instituto Federal Goiano - Campos Belos - GO. REMEA-Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, n. 2, p. 48-60, 2019.

SOUZA, Cláudia Pereira et al. A didática na construção do conhecimento da educação ambiental aplicada nos alunos do 3º ano. Portal de Anais da Faculdade Boas Novas, v. 1, n. 1, p. 001-009, 2017.

SOUZA, Maria Tereza Saraiva; RIBEIRO, Henrique César Melo. Sustentabilidade Ambiental: uma Meta-análise da Produção Brasileira em Periódicos de Administração. RAC-Revista de Administração Contemporânea, v. 17, n. 3, 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.35818/acta.v15i2.860

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.