Tópicos de biotecnologia uma perspectiva nos livros didáticos de biologia do ensino médio a partir do PNLD

Candido Coelho de Sá Neto, Thiago Coelho Silveira, Nerilson Marques Lima, Teresinha de Jesus Aguiar dos Santos Andrade

Resumo


O livro didático atinge seu propósito quando estabelece uma forte parceria com o professor, de maneira que possa converter em realidade os objetivos propostos para a educação. O presente estudo analisou cinco livros didáticos de biologia do 3º ano do ensino médio a fim de verificar como o ensino de biotecnologia tem sido contemplado e estruturado nesses materiais. A metodologia constou de análise bibliográfica investigativa e descritiva dos vários aspectos referentes aos temas de biotecnologia (precisão conceitual, atualização dos temas, imagens, concordância com o(s) capítulo(s) no(s) qual(is) estão inseridos nos livros de biologia. Os resultados indicam que existe uma disparidade entre os livros analisados demonstrando que os livros devem melhorar alguns aspectos observados, como quase a inexistência de sugestão de pesquisa com conteúdo da internet, raríssimos exercícios de fixação dos conteúdos e pouquíssimos textos sobre ética na Biotecnologia, embora essas obras podem auxiliar no processo de ensino-aprendizagem dos conceitos relacionados ao tópico investigado. Sobressaiu a linguagem aplicada na apresentação dos conteúdos, apesar de cientifica e formal, a conotação da linguagem utilizada é acessível de fácil compreensão sem expressões que dificultam o entendimento dos leitores. É impossível pensar em Ciências na atualidade sem associa-la aos assuntos discutidos na Biotecnologia seu estudo promove impactos em diversos setores da sociedade

Palavras-chave


Ensino, biologia, bioética, biotecnologia, Material didático

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, I. Muito além da gramática: por um ensino de línguas sem pedras no caminho. São Paulo: Parábola Editorial, 2007

BINSFELD, P. C. Nanotecnologia: a interação célula e nano partículas. In: BRASIL. Ministério da Saúde. Inovação em temas estratégicos de saúde pública. Brasília: Ministério da Saúde, 2011. p. 89-102.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE Cidades: São Raimundo das Mangabeiras, estado do Maranhão. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ma/sao-raimundo-das-mangabeiras/panorama. Acesso em: 19 set. 2019.

BRASIL. Fundo Nacional de Desenvolvimento do Brasil. Guia digital do PNLD. 2017. Disponível em: http://www.fnde.gov.br/pnld-2017/index.html. Acesso em: 19 set. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Orientações Curriculares para o Ensino Médio: ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC, 2006. v. 2.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais: ciências da natureza, matemática e suas tecnologias (parte III). Brasília: MEC, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de educação Básica. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Guia de livros didáticos: PNLD 2015. Química: Ensino Médio.Brasília: MEC, 2014.

CASAGRANDE, G. L. A genética humana no livro didático de biologia. 2006. Dissertação (Mestrado em Educação Científica e Tecnológica) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006.

CORRÊA, R. L. T. O livro escolar como fonte de pesquisa em História da Educação. Cadernos Cedes, ano XX, n. 52, p. 11-24, 2000.

COUTINHO, F. A.; SOARES, A. G. Restrições cognitivas no livro didático de biologia: um estudo a partir do tema “ciclo do nitrogênio”. Revista Ensaio, v. 12, n. 2, p. 137-150, 2010.

DELIZOICOV, D; ANGOTTI, J. A; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de Ciências: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002.

FERRARI, Á.; PEREIRA, V. M. Y. A biotecnologia e sua influência na vida dos seres humanos. Disponível em: http://www.each.usp.br/petsi/jornal/?p=546. Acesso em: 19 set. 2019.

FRISON, M. D.; VIANNA, J.; CHAVES, J. M.; BERNARDI F. N. Livro didático como instrumento de apoio para construção de propostas de ensino de Ciências naturais. VII Enpec. Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Florianopolis, Novembro de 2009.

GARRAFA, V. Reflexões bioéticas sobre ciência, saúde e cidadania. Revista Bioética, v. 7, n. 1, p. 1-6, 1999.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

EL-HANI, C. N.; ROQUE, N.; ROCHA, P. L. B. Livros didáticos de Biologia do Ensino Médio: resultados do PNLEM/2007. Educação em Revista, v.27, n.01, p.211-240, 2011.

KRASILCHIK, M. Práticas de Ensino de Biologia. 4. ed. São Paulo: EdUSP, 2008.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

MALAJOVICH, M. A. O ensino de biotecnologia. Rio de Janeiro: [s. n.], 2017.

MALAJOVICH, M. A. Biotecnologia. 2. ed. Rio de Janeiro: [s. n.], 2016.

MARANHÃO. Secretaria de Estado da Educação. Diretrizes Curriculares da Rede Estadual de Ensino. 3. ed. São Luís: SEDUC, 2014.

MEDEIROS, F. V. G.; CATUNDA, A. G. V.; RODRIGUES, M. J. A. M.; CAVALCANTE, C. A. M. Análise da práxis docente em Biologia no ensino secundário português. Ciência & Educação, v. 23, n. 2, p. 341-356, 2017.

MOREIRA, M. A. Uma análise crítica do ensino de física. Estudos Avançados, v. 32, n. 94, 73-80, 2018.

NICOLA, J. A.; PANIZ, C. M. A importância da utilização de diferentes recursos didáticos no ensino de biologia. InFor – Inovação e Informação: Revista do Núcleo de Educação a Distância da Unesp, v. 2, n. 1, p. 355-381, 2016.

OLIVEIRA, U. J. Análise sobre a importância da abordagem de bioética nas séries do Ensino Fundamental, Médio e EJA pelos professores da rede pública de ensino do Distrito Federal. 2011. Monografia (Licenciatura em Biologia) – Universidade de Brasília, Brasília, 2011.

OLIVEIRA, W. M. Uma abordagem sobre o papel do professor no processo ensino/aprendizagem. Revista S@ber, v. 28, n. 13, p. 1-12, 2014.

PEZARINI, A. R.; MACIEL, M. D.O ensino de ciências pautado nos vieses cts e das questões sociocientíficas para a construção da argumentação: um olhar para as pesquisas no contexto brasileiro. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 9, n. 5, p. 169-188, 2018.

RELVAS, M. P. Fundamentos Biológicos da Educação. Rio de Janeiro: Wak, 2017.

ROMANATTO, M. O livro didático: alcances e limites. São Paulo, 2004. Disponível em http://www.sbempaulista.org.br/cpem/anai/mesas-redondasmr19-mauro.doc. Acesso em 20 agosto. 2018.

ROMANO, G.DE O., SCHIMIGUEL, J., FERNANDES, M. E. Uma revisão bibliográfica e pesquisa sobre livros didáticos de matemática, tecnologia e ensino de geometria no ensino fundamental e médio. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v.10, n.4, p. 212-226, 2015.

SANTOS, V. DOS A.; MARTINS L. A importância do livro didático. Revista Virtual, v. 7, n. 1, p. 20-33, 2011.

STAHL, L. R.; ISAIA, S. M. DE A. Articulação entre os conhecimentos específicos e a Formação de professores: a licenciatura em Discussão. Políticas Educativas, v. 6, n.1, p. 41-55, 2012.

SILVA, V. O uso do software como recurso didático no ensino de ciências e biologia. 2003. 105 f. Dissertação (Mestrado em Educação Científica e Tecnológica) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2003.

SILVA, V. O uso do software como recurso didático no ensino de ciências e biologia. 2003. Dissertação (Mestrado em Educação Científica e Tecnológica) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2003.

SOUTO, E.; VASCONCELOS, S. D. Conteúdo entomológico nos livros de Ciências: contribuições da avaliação oficial de materiais didáticos. ENCONTRO PERSPECTIVAS DO ENSINO DE BIOLOGIA, 8. Anais. São Paulo, 2002.

SOUZA, T. T.; MARCHI, M. I.; STROHSCHOEN, A. A. G. Professores de biologia e a busca por práticas pedagógicas voltadas ao letramento científico: uso de texto de divulgação científica. Caderno Pedagógico, v. 13, n. 1, p. 24-40, 2016.

TEIXEIRA, P. M. M. Ensino de Biologia e cidadania: o técnico e o político na formação docente. Bauru, 2000. 316p. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista.

VASCONCELOS, S. D.; SOUTO, E. O livro didático de ciências no ensino fundamental: proposta de critérios para análise do conteúdo zoológico. Revista Ciências e Educação, v. 9, n. 1, p. 93-104, 2003.

VAZ, J. M. C.; PAULINO, A. L. S.; BAZON, F. V. M.; KIILL, K. B.; ORLANDO, T. C.; REIS, M. X.; MELLO, C. Material didático para ensino de biologia: possibilidades de inclusão. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 12, n. 3, p. 81-104, 2012.

VICTORINO, V. I. P. A revolução da biotecnologia: questões da sociabilidade. Tempo Social, v. 12, n. 2, p. 129-145, 2000.

VILELA, M. R. A produção de atividades experimentais em genética no ensino médio. 2007. Monografia (Especialização em Ensino de Ciências por Investigação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.

WIGGERS, C. F. O aluno como sujeito central no ensino: elaboração de um guia didático para o ensino contextualizado de biotecnologia na região centro-sul do Paraná. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências Naturais e Matemática) – Universidade Estadual do Centro-Oeste, Guarapuava, 2016.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.35818/acta.v15i1.877

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.